Intempéries são meus halteres


Para muitos, o ano está somente começando... Então, Feliz 2012!!

Para mim, já começou faz um tempinho...

Assistindo na internet a uma entrevista do Lobão, concedida à Marília Gabriela no ano passado, recebi o presente de ouvir do cantor e compositor a frase que dá título ao artigo: “Intempéries são meus halteres...”

Fiquei absolutamente fascinado com duas coisas na frase:

- a musicalidade! Adorei!! Coisa de artista, de letrista, de alguém preocupado com a métrica, de lançar uma frase curta e de nos fazer pensar por muito tempo sobre a mesma. Cazuza tinha isso muito bem desenvolvido!! Como essa geração de letristas era boa...

- o sentido que ele quis dar à frase!!
Quem nessa vida não passa por dificuldades? Quem nessa vida não tem que enfrentar “intempéries” no dia a dia?

Fazer das intempéries momentos de exercício de fortalecimento é o máximo!! Isso me faz imaginar uma academia com pessoas puxando pesos! Nos pesos lê-se “dívidas”, “frustrações”, “amor destruído”, “oportunidade perdida de crescimento”...

O melhor da minha visão é a expressão facial das pessoas na academia!! Todos focados, suados, com cara de atletas olímpicos e olhares tão determinados quanto de um jogador prestes a bater um pênalti na final da Copa do Mundo.

O sentido puro da “intempérie” refere-se a fenômenos de perturbação atmosférica. Mas, será que eu erro em dizer que a vida nos proporciona tais perturbações relacionais em nossas esferas pessoais e profissionais? As “intempéries” estão por toda parte, nos impondo dificuldades de realizações, de enfrentamento, de reflexões, etc.

Continuando nas letras musicais, faço o exercício de lembrar também de “Volta Por Cima” do inigualável Paulo Vanzolini (aquele de “Ronda”):

... Reconhece a queda e não desanima
Levanta, sacode a poeira
E dá a volta por cima…

Esse é o propósito!!

Outra expressão muito comum é aquela que diz que devemos “fazer do limão uma limonada”!! Significa reverter uma situação indesejada em algo positivo! Já fez isso? Eu vivo fazendo! Mesmo na derrota, no constrangimento e em situações difíceis, o que posso tirar de bom? Como posso reverter uma ameaça em oportunidade?

O fato é que às vezes precisamos de frases assim, de pensamentos que nos levem à ação ou até mesmo à reação!!

As intempéries doem, mas é no auge delas que iniciamos o processo de descolamento do caos!

O auge das intempéries coincide com o momento de inflexão, ou seja, na direção da recuperação, como um gráfico que inverte sua curvatura e cresce progressivamente para o sucesso!

Dill Casella

TEMAS