Paulo Sergio Camargo

Paulo Sergio Camargo

TEMAS


Paulo Sergio Camargo

Grafólogo, escritor, especialista em Linguagem não verbal e RH, consultor de empresas e palestrante internacional - Argentina, Chile, Espanha, México. Único brasileiro com o título de Professor de Grafologia do Colégio Binet da Argentina. Membro de Honra da "Agrupación Grafoanalistas Consultivos en Espanã"(Barcelona) e da SOBRAG, Sociedade Brasileira de Grafologia. Grafólogo com maior número de livros publicados a respeito de grafologia no Brasil. "O mais importante grafólogo brasileiro da atualidade". Mauricio Xandró - Abril 2007.

 Escrita em leque invertido

A escrita em leque invertido do garoto assassinado pela madrastra e pai foi escrita quando estava sob a guarda da justiça.

 Escrita em leque

Trata-se de uma escrita com direção mista; ou seja, estão reunidos no mesmo grafismo várias direções.

Este tipo de espécie grafológica ocorre da seguinte maneira:

A escrita começa ascendente, se torna retilínea e depois descendente.

Foi descrita em 1905 por J. Rogues de Fursac ("Les Écrits et les Dessins dans Le Maladies Nerveuses e Mentales") e estudada por Jacques Salce e Pierre Faideau. Gille-Maisani cita como indicativo de esquizofrenia paranóica.

Os leques podem ser parciais ou completos e são encontrados em esquizofrênicos, refletem entre outras coisas, a perda da noção do espaço no campo gráfico, uma falta de conexão saudável com o mundo. Pode indicar estados depressivos.

Em grafismo de pessoas "saudáveis" a interpretação é muito fácil: forte impulso inicial, seguido acomodação e desânimo.

A escrita analisada se constitui em um leque invertido como pode ser facilmente observado.

A interpretação deve levar em conta as palavras de Pulver no livro "Simbolismo da Escritura": o consciente escreve; o inconsciente dita.

Nas primeiras linhas o gesto é intencional; depois ao longo do tempo o inconsciente age de modo pleno. Isto é fácil de ser observado em um caderno novo; depois do controle inicial, os textos tomam a forma de sempre, por mais que o aluno tente se controlar.

Esta "lei" é muito utilizada por peritos na coleta de assinatura; a pessoa assina dezenas de vezes; até que o gesto sai de forma "solta".

Portanto

As linhas iniciais descendentes:

Pessimismo, angústia; tristeza e falta de confiança. Conflitos profundos, falta de motivação.

De forma consciente o garoto sabia de sua situação.

Linhas finais ascendente:

Entusiasmo, bom humor e otimismo. Grande energia. Ardor e atividade constante, imaginação e fantasia. Boa saúde física (reforçada pelos traços sem borrões; torções; quebras etc.).

De forma inconsciente o garoto tinha potencial e energia para sair da situação em que se encontrava.

Ao longo do leque a escrita é "sinuosa"; fato que reforça a instabilidade por qual passava. Revela grande sensibilidade e emotividade. Visão focada no presente; incapacidade de pensar e trabalhar com dados e fatos de longo prazo.

A assinatura é legível, vontade de ser compreendido. A descendência final reforça o pessimismo.

A palavra "policial" deve ser considerada como "palavra reflexa" de acordo com as teorias de C. Honroth. A palavra "bicicleta" idem. Como é ascendente revela um desejo; um sonho.

 Temas de Palestras

- Comunicação

- Linguagem não verbal 

- Recursos Humanos

- Grafologia