TEMAS


Marcelo Gleiser

Marcelo Gleiser é um físico teórico especializado em partículas cosmologia-misturando a física dos muito menores constituintes do universo com a física do universo como um todo.

Para dar sentido ao mundo e nosso lugar no grande esquema das coisas, ele estuda o surgimento de estruturas complexas de natureza, com foco em questões muito fundamentais relacionados com o que ele chama de os três origens: cosmos, a vida e a mente.

Conhecido nos Estados Unidos por seus lecionamentos e pesquisas científicas, no Brasil é mais popular por suas colunas de divulgação científica na Folha de S.Paulo, um dos principais jornais do país. Escreveu sete livros e publicou três coletâneas de artigos.

Bacharelou-se em 1981. No ano seguinte fez seu mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro e em 1986 obteve seu doutorado no King's College London na Universidade de Londres. Desde 1991, é professor de Física e Astronomia e pesquisador em uma renomada universidade norte-americana, a Dartmouth College em Hanover, Estados Unidos. Já fez parte do grupo de pesquisadores do Fermilab, em Chicago, e do Institute for Theoretical Physics da Califórnia. Recebeu bolsas para pesquisas da NASA, National Science Foundation e da OTAN.

Em 1994 ganhou do presidente norte-americano Bill Clinton o prêmio Presidential Faculty Fellows Award por seu trabalho de pesquisa em cosmologia e por sua dedicação ao ensino. 

Articulista do jornal Folha de S. Paulo desde 1997, Gleiser divulga a ciência trazendo explicações simples para milhares de leitores. Dentre outras, ministra uma disciplina em Dartmouth chamada Física para Poetas, extremamente popular na universidade, atraindo pessoas que não possuem ligações com a física. Essas aulas se caracterizam por relatos da história da ciência e dos cientistas juntamente com explicações sobre os fundamentos da física no laboratório através de experiências e demonstrações em sala de aula.

Em 1997 lançou no Brasil seu primeiro livro, A Dança do Universo, que trata da questão da origem do Universo tanto sob o ponto de vista científico quanto religioso. O livro, escrito para o público não-especializado, tornou-se num marco da divulgação científica no Brasil Ref.

Em 2001, Gleiser foi eleito Fellow da American Physical Society, a Sociedade de Física Americana, da qual é membro. Seu ensaio Emergent Realities in the Cosmos apareceu na antologia Best American Science Writing 2003, editada por Oliver Sacks.

Em 1998 ganhou o Prêmio Jabuti por esse livro, prêmio que viria a repetir em 2002 pelo livro O fim da Terra e do Céu. No ano de 2005 lançou uma coletânea de suas colunas publicadas na Folha de S. Paulo de 1999 a 2004 intitulada Micro Macro, e em 2007, dando prosseguimento à coleção, outra intitulada Micro Macro. A sua primeira obra inspirou uma peça de teatro do grupo Arte e Ciência no Palco, que estreou no Festival de Curitiba, e foi apresentada em vários teatros e festivais no Brasil e em Portugal.

Em 2006, publicou A Harmonia do Mundo, seu primeiro romance e também um best seller, sobre a vida e obra do astrônomo alemão Johannes Kepler. Em 2010, publicou o livro Criação Imperfeita: Cosmo, Vida e o Código Oculto da Natureza, onde faz criticas a várias das ideias de unificação na física, argumenta que as assimetrias do Universo não tiveram origem a partir de um Deus, e que são as imperfeições que causaram e causam a formação de estruturas na Natureza, do átomo às células. O livro foi publicado em sete línguas.

Em Setembro de 2006 estreou nos cinemas o filme O Maior Amor do Mundo, de Cacá Diegues, com consultoria de Gleiser. O filme conta a história de um astrofísico que volta ao Brasil.

Em 2006, apresentou um bloco no programa dominical Fantástico, da Rede Globo, chamado Poeira das Estrelas. A série em muito lembra a série Cosmos, de Carl Sagan, com episódios abordando temas científicos e mantendo o foco na astronomia e na origem da vida. A série inspirou um livro homônimo publicado no mesmo ano.

Já participou de programas de televisão do Brasil, Estados Unidos e Inglaterra, entre eles, Fantástico. Em 2007, foi eleito membro da Academia Brasileira de Filosofia.

Em 2008, apresentou no programa Fantástico mais uma série com conteúdo científico, intitulada Mundos Invisíveis, onde explorou a história da física e da química, da alquimia à física de partículas elementares.

Em 2010, narrou o documentário Como Funciona o Universo, exibido pelo canal Discovery Channel.

Atualmente continua narrando documentários do Discovery Channel.

Temas das Palestras:

Suas palestras abordam temas diversos da ciência e sua relação com a sociedade e a cultura:

- A Humanidade no Século 21: Internet, Inteligência Artificial e nosso futuro
- Ciência e Religião: Como conviver com as duas
- Ciência e o bem-viver: o que a ciência nos ensina sobre como viver bem.
- Inovação corporativa: lições de liderança e cooperação vindas da ciência moderna.
- Buscando pelo significado da vida.

Tipos de Trabalhos

- Criatividade e Inovação
- Trabalho em Equipe / Disciplina
- Superação de Desafios / Mudanças
- Liderança
- Motivação

AT 11-09