TEMAS


Pedro Parente

Em 19 de maio de 2016 foi indicado pelo Governo Michel Temer ao cargo de presidente da Petrobras. Seu nome foi submetido – e aprovado, pelo Conselho de Administração da empresa, requisito essencial para assumir o cargo.

Pedro Parente, foi Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Ministro chefe da Casa Civil da Presidência da República e Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, no Governo Fernando Henrique Cardoso.

Funcionário de carreira do Banco Central do Brasil, trabalhou de 1992 a 1994 no Fundo Monetário Internacional (Departamento de Assuntos Fiscais).

Secretário Nacional de Planejamento do Ministério da Economia, Fazenda e Planejamento, no período de maio de 1991 até outubro de 1992.
Presidente do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) entre 1990 e 1991.

Secretário de Orçamento e Finanças da Secretaria de Planejamento da Presidência da República, responsável pela elaboração do Orçamento do Governo Federal (de 1989 a 1990).

Secretário-adjunto do Tesouro Nacional (onde também foi secretário de Informática e de Programação Financeira), de 1987 a 1988.

Secretário Geral Adjunto do Ministério da Fazenda (1985/86).

Chefe da Divisão de Programação, Análise e Orçamento, da Divisão de Planejamento, Normas e Controle e da Divisão de Execução Contábil, Financeira e Orçamentária do Departamento de Administração Financeira do Banco Central do Brasil (entre 1979 e 1985).

Formado em Engenharia Eletrônica pela Universidade de Brasília (1976), tem cursos de Especialização em Controle e Auditoria na Fundação Getúlio Vargas (1982) e de Auditoria de Sistemas Contábeis e Utilização de Processamento Eletrônico de Dados (1979, junto a Boucinhas & Campos Consultores S/C). Ingressou por concurso público no Banco do Brasil em 1971 e depois no Banco Central do Brasil (1973).

Em razão dos cargos e empregos ocupados, passou a deter grande experiência em organização de finanças públicas.

Foi membro do quadro de consultores externos do Fundo Monetário Internacional, participando do projeto conjunto FMI/PNUD de assistência técnica ao Governo de Angola, com missões na Venezuela, Portugal e Rússia.

Foi consultor da Secretaria de Economia e Finanças do Estado de São Paulo (1988 a 1992) e consultor da Secretaria de Fazenda do Estado de Minas Gerais (1988).

Coordenou a comissão do Ministério da Fazenda encarregada de propor medidas para a transferência da administração da dívida pública mobiliária e participou da elaboração do primeiro Orçamento das Operações Oficiais de Crédito, prestando ainda assessoria à Comissão do Sistema Tributário, Orçamentário e Financeiro da Assembléia Constituinte (1987).

Coordenou o desenvolvimento e a implantação do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), em 1986.

Temas das Palestras

- Diferenças entre Gestões Públicas e Privadas
- Profissionalização de Empresas Familiares
- A Nova Economia
- Conjuntura Nacional
- Macroeconomia e Tendências
- Finanças Públicas
- Gestão: Pública X Privada
- Navegar em Mar Revolto