TEMAS


Zinho - Ex Jogador de Futebol

Crizam César de Oliveira Filho, mais conhecido como Zinho, é ex-jogador de futebol, dirigente esportivo, treinador e Atualmente trabalha na Fox Esports

Revelado no time de futebol do Flamengo, iniciou sua carreira, em 1986, quando teve a oportunidade de atuar ao lado de Zico, Andrade e Leandro, alguns dos maiores craques da história rubro-negra.

Mas além dessas feras, também atuou com novos talentos como Jorginho, Ailton e Bebeto, onde acompanharam-no, em suas primeiras conquistas.

Foi considerado o segundo jogador recordista de jogos pelo Brasileirão superado por Rogerio Ceni. De 1986 a 2004, Zinho acumulou 370 jogos pela competição.

Enquanto jogador, além do clube do Flamengo, Zinho também jogou pelo clube do Palmeiras, Yokohama Flugels (Japão), Grêmio, Cruzeiro, Nova Iguaçu, Miami (EUA), ganhando inúmeros títulos.

Também, foi tetracampeão mundial com a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1994.

Por volta do final de 2006, o Miami propôs a Zinho que se tornasse o treinador do time.

Aceitando a proposta, Zinho iniciou uma nova fase. Em meados de 2010 retornou ao Brasil para dar continuidade à sua carreira acertando com o Nova Iguaçu, onde atuou como diretor executivo.

A relação de Zinho com a Seleção Brasileira se deu de uma maneira curiosa.

Em 1970, quando o menino Crizam tinha apenas 3 anos, ele se perdeu da família durante a comemoração do tri. Ali a mãe do atleta, Moyseslita, rezou e disse que, se o encontrasse, o menino atuaria pelo Brasil.

A primeira convocação de Zinho para a Seleção foi em 1989, quando ele tinha 21 anos.

Zinho foi Campeão do Mundo em 94, jogando com a camisa 9 e sendo o responsável por fazer o jogo girar. Toda bola de ligação ao ataque passava por ele.

Não fez gols no Mundial, mas foi importantíssimo para a conquista.

Contudo, obrigado a ajudar na marcação, Zinho viu-se preso ao meio-campo e, sem poder avançar ao ataque, seu futebol não esteve à altura de suas atuações pelo Palmeiras.

Logo vieram as críticas, e a imprensa esportiva da época foi, extremamente, dura com o jogador, que passou a ser ironizado com o apelido de Zinho enceradeira.

Pela Seleção Brasileira, Zinho marcou seis gols em 57 jogos, segundo o livro "Seleção Brasileira 90 Anos", de Antônio Carlos Napoleão e Roberto Assaf.

Estilo de Jogo e Características

Zinho sempre foi o jogador que iniciava as jogadas de sua equipe. O próprio Zinho chegou a dizer em entrevista que seu estilo de jogo é semelhante ao de Xavi.

Mesmo assim, o trabalho de Zinho não era sempre apreciado, e o atleta chegou a receber o apelido de "enceradeira" por conta de seu estilo de jogo.

Afinal, ninguém é chamado de 'enceradeira' por ser dinâmico ou empolgante.

Porém, para Leonardo Mirando, do blog Painel Tático, do GloboEsporte.com, Zinho foi um jogador a frente de seu tempo, justamente por ter este estilo.

Segundo o blogueiro, "entre 2008 e 2014, só se falava no “tiki-taka” de Espanha e Barcelona, tidos como exemplo de futebol moderno. Mas 20 anos antes, Zinho fazia o mesmo que Xavi e Iniesta e era chamado de enceradeira."

Nos clubes por onde passou, Zinho era um meia mais ofensivo. Na Seleção de 94, porém, o encaixe no esquema tático do técnico da Seleção, Carlos Alberto Parreira, fez com que ele jogasse de forma diferente, dando mais apoio à defesa.

Em 2012 é contratado pelo canal Fox Sports para trabalhar como comentarista.

Porém em maio do mesmo ano é convidado para se tornar o Diretor Executivo de Futebol do Flamengo.

Em 2013 foi convidado para se tornar o Diretor Executivo de Futebol do Santos.

No final de 2014, com um novo presidente eleito, Zinho deixa a gerencia do Santos para voltar ao Rio de Janeiro.

Esteve nos canal ESPN Brasil, participando do Resenha ESPN, estando por pouco tempo, pois em Agosto do mesmo ano, aceitou ser auxiliar técnico de Jorginho, no Vasco da Gama.

“Zinho é o segundo jogador recordista de jogos pelo Brasileirão.”

 

Temas Palestras

- Trabalho em Equipe
- Superação
- Case de Sucesso
- Motivação
- Liderança
- Presença Vip

07/09