TEMAS


Hugo Bethlem

Formado em Administração de Empresas pela FMU - SP e Ciências Contábeis pela Paulo Eiró – SP;

Cursos de especialização em Gestão e Empreendedorismo em Cornell - USA, Babson - USA e FGV – SP, Estrategia e Conselhos de Administração no IMD – Suiça, Blockchain na Saïd Business School - Oxford;

Palestrante nacional e internacional e professor convidado na FGV e FDC;

Diretor Geral Instituto Capitalismo Consciente Brasil;

Sócio Diretor Consapevole;

Retail Sênior Advisor da Accenture;

Sócio Diretor e Co Fundador da A10 Investimentos e Assessoria - é uma empresa independente especializada em assessoria financeira e Private Equity focada em Varejo e Consumo;

Sócio Diretor do Enjoy The Meal Restaurantes do Brasil que opera 3 lojas franqueadas do Koni Store de culinária japonesa;

Presidente do Conselho de Administração da Dotlegend empresa desenvolvedora e operadora de App para smartphones focada em varejo, como Boalista e Belezuca;

Conselheiro do IDV (Instituto para o Desenvolvimento do Varejo) e Presidente do Comite de Sustentabilidade;

Co Fundador e Diretor do Movimento Capitalismo Consciente Brasil.

Com 35 anos de experiência em varejo tendo trabalhado como, Auditor/Consultor Senior na Arthur Andersen (1979 a 1984), CFO, Diretor de Operações e Vice Presidente Comercial no Carrefour (1984 a 1995), CEO do Hopi Hari (GP Investimentos) (1995 a 1997), Vice Presidente Comercial no Jerónimo Martins (Sé Supermercados)(1997 a 1999), Vice Presidente Comercial no Dicico (1999 a 2001) e Vice Presidente Comercial, Presidente da Sendas, Comprebem e Extra, Vice Presidente de Logistica, TI, CSC e Vice Presidente de Relações Corporativas no Grupo Pão de Açucar (2001 a 2012). Em 1991 foi eleito o Executivo Financeiro do Ano pelo IBEF SP – o Equilibrista.

Capitalismo Consciente:

Qual a vantagem prática de mudar sua cultura e pensar mais no impacto social?
Hugo Bethlem, diretor-geral do Instituto Capitalismo Consciente Brasil, tem a resposta. "Tanto o talento da empresa quanto seus clientes estão preocupados em apoiar uma empresa que tem propósito", afirma. "Ter um líder consciente é fundamental para a perenidade do negócio."

Bethlem apontou que, de acordo com uma pesquisa recente, 73% das empresas no mundo poderiam desaparecer que ninguém ligaria para o fato. Isso é reflexo da falta de preocupação das empresas com as pessoas. "As palavras amar e cuidar tem de começar a entrar no dicionário da empresa."

E para esse novo modelo, é preciso que a empresa tenha o chamado "líder servidor", um executivo que se baseia na relação de equidade, na transparência, na consciência, além da geração de valor econômico. "Ser um líder servidor não é levar as pessoas nas costas, é levar as pessoas no coração."

AT 01-19